verdades sobre o inverno e dicas para tentar sobreviver

O inverno me transformou em uma pessoa chata. Não que eu seja este poço todo de simpatia, mas eu costumava ter vontade de viver (e tinha também um certo charme). Agora, com a temperatura menor que 19 graus, eu não passo de um cosplay de espantalho, com o humor do Grinch.

Eu já tinha vivido outros invernos durante intercâmbios, mas este está sendo tenebroso. Primeiramente, eu não sei o que vestir, porque viver nesta cidade é como estar dentro de Jumanji: tudo pode acontecer. Pode amanhecer com neblina, frio, alerta de chuva e ao meio dia estar um lindo dia de sol, com 25 graus e hipsters andando de skate na Paulista.

A pior coisa, porém, é que os paulistanos continuam mantendo o ar condicionado LIGADO. “É o que, hein?”, você vai dizer. E eu vou responder: é isto mesmo, amigo!! Não basta o frio natural que entra no seu corpo e se apodera de suas entranhas, é preciso gelar mais porque eu estou achando pouco.

Agora eu consigo entender porque Jon Snow passou todas essas temporadas com uma cara de quem precisou comer o churrasco de melancia da Bela Gil.

Novembro 2014

não me aguentei, sorry.

Era o frio, minha gente. Ninguém merece andar com duzentas camadas de roupas pesadas, com o cabelo úmido grudando na testa, sem ter a esperança de um momento de paz e calor.

Mas como na vida a gente precisa tentar ser alguém melhor, eu criei aqui uma listinha com dicas de como ser feliz no inverno paulista:

Sopa, sopa, sopa!

Eu sempre fui uma criança estranha que adorava quiabo e fazia questão de tomar sopa todas as noites. E, pra falar a verdade, ainda faço. Como cheguei em SP no verão, achei muito estranho que os restaurantes e lanchonetes aqui não serviam sopa no jantar, mas parece que há uma regra tácita de só tomar sopa (ou caldo como eles chamam) no inverno mesmo. Então, agora todos os lugares têm, tipo, muitas opções, com rodízio e num sei que lá. It’s paradise, my friends! Eu destaco o Festival de Sopas da Ceagesp, que acontece até agosto, de quarta a domingo. Custa R$32,90 e você pode tomar todas as sopas quantas vezes quiser. Ou seja!

Também vale a dica do ~do it yourself~ e aí eu sugiro a minha preferidinha: sopa de jerimum e cenoura com gengibre. É simples, é fácil, é maravilhosa e baratinha. Joga esses ingrediente tudo aí na panela, com cebola, alho, um pouco de sal e coloca água. Espera os legumes amolecerem e bate no liquidificador. TCHAM! Você pode colocar um queijinho em cima que vai ficar ainda mais maravilhoso.

Netflix e ferro de passar

Para os fracos, como eu, não há nada melhor do que ficar em casa mesmo, na janja eterna amém. Acontece que, quando estou no aconchego do lar, quero ficar com o aquecedor (sim, eu comprei e não me envergonho) ligado o tempo todo, mas a fatura da energia parece não gostar disso. Então, a solução que o namorado me deu (obrigada, meu amor) foi de passar ferro na cama antes de deitar. Gente, que coisa! Parece que você está sendo abraçado pela sua cama e ela está dizendo: vai ficar tudo bem, Juju. Com esse aconchego todo, fica fácil zerar todas as séries que estão atrasadas e que você precisa atualizar antes que novas temporadas saiam ou que novas séries sejam criadas. Watch, Lola, watch!

Vinhos

Bom, na verdade este ítem também pode estar sendo ingerido no verão, não é mesmo? Sou adepta e praticante desta delícia, mas confesso que passei a ser menos julgada pela caixa do Pão de Açucar, porque aparentemente vinho é que nem sopa: só no inverno. Aproveitemos, querides, para celebrarmos as baixas temperaturas com muito pinot noir e malbec argentinos.

Looks de inverno (ou superar desafios pessoais)

Se você é uma pessoa corajosa e gosta de se aventurar nos dias frios, se vestir no inverno pode ser uma atividade encarada como divertida. Eu ainda estou na fase de tentar combinar vestidos floridos com cachecóis estampados e de tentar usar pulôver sem parecer uma nerd.

Mas confesso que na última semana até me animei, entrei em uns blogs de moda e me esforcei para parecer menos desleixada. Acho que deu certo, porque um dia usei batom e rímel para ir no trabalho e 99% das pessoas pararam para comentar como eu estava diferente. Espero que tenha sido um elogio, pois eu me senti muito francesa e charmosa com sobretudo e bota. Quem sabe um dia eu arrisco um delineador à luz do dia?

Pensar no verão

Porque, sim, ele vai chegar e pode apostar que ele também está pensando em você.

foto (1)

Bom, é só isso mesmo, parece. Ao longo do inverno eu espero encontrar outras coisas legais e adicioná-las nesta lista aí.

Ah, este post também é uma forma de pedir desculpa a todos os que convivem comigo diariamente. Eu estou tentando parar de falar as frases “aimeudeus que frio”, ”pqpquefriodocarai” e ”quefrioéessehein?”. Se eu fracassar, não faça cara feia, apenas me abrace. O post é ainda uma forma de atualizar meu status social e explicar aos amigos queridos que estarei retomando as amizades assim que o inverno passar. Sentirei saudades de vocês, mas o whatsapp ta aí pra isso.

2 thoughts on “verdades sobre o inverno e dicas para tentar sobreviver

  1. tali says:

    Adorei a receita da sopa aí no meio da conversa. Ja devo aproveitar.
    Mas vim mesmo dizer que tu devia conhecer a maravilha chamada lençol termico que vai te fazer ter cama quentinha sem passar ferro (eu tb dazia isso <3)
    Beijo, ju. Blog amor!

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s