sacode

Não são nem nove horas da manhã.
Você já viveu uma vida inteira.
Saiu de casa desesperada achando que tinha perdido a carteira. Engasgou com café e melão.
Acordou o motorista do uber do dia anterior, nada. Ligou na clínica, nada. No restaurante, ninguém atendeu.
Nada.
Correu pra terapia, fazer o quê?
Falou da mãe.
Falou da casa.
Falou do amor, do horror, do passageiro.
Levou uns bons tapa na cara e disse: tou sem cabeça, Josefina, perdi minha carteira.
Quis marcar uma sessão extra para sexta-feira. Nem isso conseguiu. O que ela vai pensar?
Achou que tinha perdido o controle completo da própria vida.
Uma menina subiu a ladeira de bicicleta e você se sentiu inútil. Lembrou do poema de Matilde Campilho, pois não tem caixa torácica para isso.
Encontrou a carteira dentro da mochila e teve uma crise se riso da própria cara.
Maldita mochila cheia de bolso falso dos inferno.
Começou a chorar. A vida é boa mesmo.
Deu um pequeno soluço e recebeu olhares.
Começou a rir porque fazia tempo que não chorava.
Hoje ainda é terça-feira e você viveu uma vida inteira.
Mas agora são nove e vinte e você está atrasada.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s